Aspiração de corpos estranhos

A aspiração de corpo estranho é a entrada acidental de um objeto ou parte dele na via respiratória, causando obstrução parcial ou total da entrada de ar. Ocorre principalmente em bebês e crianças pequenas (84% em menores de 5 anos), pois exploram o mundo, costumam levar objetos à boca, são muito ativas enquanto comem e não têm capacidade para mastigar alimentos de forma completa. A gravidade dependerá do grau de obstrução que o objeto causou. Um episódio testemunhado que envolve engasgo, seguido de acesso de tosse, muitas vezes acompanhada de lábios roxos (principalmente em uma criança previamente saudável), é bastante sugestivo de aspiração.

Os objetos mais comumente aspirados são: alimentos (pipoca, nozes, amendoim, milho, feijão, salsichas e ossos ou fragmentos de ossos), peças de brinquedos, bolinhas, moedas, tampas de canetas, tachinhas, pinos, clipes de papel, unhas, parafusos, balas e bexigas (essa última, geralmente fatal). Por isso, fique atento: os brinquedos colocados à disposição devem ser suficientemente grandes, com pelo menos 3cm de diâmetro e 6cm de comprimento, para que não possam ser engolidos ou aspirados.

Se a criança tiver menos de 1 ano, o pai ou responsável deve apoiar o bebê no braço, com a cabeça mais abaixo que o corpo, tendo o cuidado de manter a boca do bebê aberta. Em seguida, deve aplicar cinco batidas com o “calcanhar” da mão nas costas do bebê, na região entre as escápulas. Depois, virar o bebê com a barriga para cima, mantendo a inclinação original e a boca aberta, e iniciar cinco compressões no osso do peito da criança, logo abaixo da linha imaginária traçada entre os mamilos. Repita esse ciclo até o bebê expelir o objeto ou desmaiar.

Caso a criança, maior ou menor de 1 ano, ficar inconsciente são recomendados os seguintes passos:

1) Acionar um serviço de emergência (se estiver sozinho, sem acesso a um telefone celular, deixe a criança e vá até um telefone; após, retorne rapidamente);

2) Colocar a criança deitada e fazer duas respirações boca a boca;

3) Mesmo expelindo o corpo estranho com as manobras, levar a criança a um serviço de emergência;

4) Abrir a boca e ver se o objeto foi expelido. Se não, faça 30 compressões no tórax e abrir a boca novamente. Se o objeto tiver sido expelido, retire-o cuidadosamente com os dedos em forma de pinça e faça mais duas ventilações boca a boca. Repetir o procedimento até o socorro chegar ou a criança voltar a respirar.

Há uma série de medidas preventivas que podem ser tomadas em casa ou na escola e que podem ajudar a evitar esses problemas. Entre elas, estão:

1) Ensinar a criança a não colocar pequenos objetos entre os lábios ou na boca;

2) Certificar-se de que os brinquedos estão em boas condições e são adequados à idade;

3) Comprar brinquedos adequados à idade da criança e certificados pelo INMETRO;

4) Oferecer alimentos bem cortados e em pequenas quantidades para evitar que as crianças coloquem muita comida na boca;

5) Ensinar as crianças a mastigar bem seus alimentos. Sentar-se e comer com elas para dar o exemplo, sendo um modelo positivo, mastigando bem os alimentos e comendo lentamente;

6) Não dar alimentos duros e crocantes (como pipocas, doces duros, amendoins, etc.) a uma criança até que tenham pelo menos 4 anos de idade;

7) Ter muito cuidado com alimentos que possam se amoldar na via aérea (uvas, tomate cereja);

8) Certificar-se de que a criança esteja acordada e bem alerta antes de oferecer comida;

9) Nunca dar ou deixar que a criança ou bebê se alimente deitado;

10) Não oferecer nada para a criança comer ou beber enquanto estiverem andando, brincando, falando, chorando, etc.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

Se desejar mais informações acesse: https://www.sbp.com.br/especiais/pediatria-para-familias/prevencao-de-acidentes/aspiracao-de-corpo-estranho/

Categorias: Prevenção Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *